Apresentação do TCC perante a banca

Prepare o conteúdo da apresentação: por mais que você conheça o conteúdo do seu trabalho e tenha segurança em comunicar-se em público, é necessário planejar a apresentação. Ela deverá respeitar o tempo de duração estabelecido pela instituição. O preparo para a apresentação demanda esforço na elaboração de um material adicional à monografia que servirá como “base” ou “roteiro”.

Ansiedade e nervosismo: Encare o nervosismo e a ansiedade como uma condição natural. Mesmo o mais experiente palestrante fica nervoso ao ser submetido à uma avaliação. Caso ocorra algum erro durante a apresentação, não peça desculpas. Errar é humano.

Respeite suas qualidades: Não existe um “estereótipo ideal” para comunicação. Todos têm características que podem ser exploradas como qualidades. Por exemplo, pessoas com voz retumbante podem sustentar argumentos com impostação vigorosa; já pessoas com voz baixa podem sustentar seus argumentos com impostação envolvente e reflexiva.

Conheça o local: Recomendo que, sendo possível, visite dias antes o local (sala) onde será realizada a apresentação, mesmo que já seja conhecida. Avalie as condições de espaço e recursos disponíveis.

Público alvo
: mesmo que a sua apresentação seja assistida por várias pessoas, o seu público alvo é a banca. Sua fala deve ser dirigida especialmente aos avaliadores.

Sequência para a apresentação
: recomendo considerar a seguinte sequência para a apresentação:
a) Cumprimente a banca e aos presentes: seja cortês no início, mas registre agradecimentos (se desejar) apenas quando concluída a apresentação, do contrário, o tempo empregado para cumprimentar e agradecer pode comprometer o tempo total disponível;
b) Entrega de material adicional e/ou errata: na sequência, você pode entregar aos membros da banca um material complementar (um roteiro da apresentação, por exemplo) e/ou uma errata. Na errata são registradas possíveis incorreções da monografia e seus respectivos ajustes. Mas atenção, a errata deve apenas ser entregue. Não mencione verbalmente os erros identificados, nem tão pouco, explique as respectivas correções. Apenas entregue a errata e diga algo como “...ao realizar os estudos e preparativos para esta apresentação foram identificadas algumas incorreções no texto da monografia que, por meio desta errata, consideram-se supridas...”;
c) Introdução: na sequência, dedique os minutos iniciais para explicitar claramente o objeto, os objetivos, a estrutura adotada no trabalho e outras questões metodológicas de relevo;
d) Conteúdo: evidencie os aspectos de destaque de todo o trabalho. Não há dúvida que, para tanto, você vai exercitar seu poder de síntese. Não deixe de descrever conteúdos de cada capítulo, pois, do contrário, você poderá ser questionado sobre a importância do capítulo não abordado;
e) Conclusão: recomenda-se retomar o problema e as hipóteses de pesquisa, a fim de explicar, a partir dos estudos realizados, se as mesmas foram ou não confirmadas.

Postura e vestimenta: também em relação à postura e vestimenta não há uma regra absoluta. Procure não utilizar roupas ou empregar gestos exagerados ou inadequados, de modo que possam chamar mais a atenção do que o conteúdo apresentado.

Leitura ou apresentação livre: na apresentação há possibilidade de utilizar inúmeros recursos e técnicas. A leitura de um "texto base" de forma integral ou tópica pode ser um delas. Contudo, esta prática na apresentação deve fluir com muita naturalidade. O olhar deve desprender-se do texto e o ritmo e dicção devem ser envolventes. Na apresentação livre, realizada sem apoio textual direto, é preciso cuidado na distribuição adequada do tempo. Não são raras as situações onde o apego aos detalhes do assunto e explicações prolongadas de partes do trabalho prejudicam a apresentação.

Utilização recursos audiovisuais: o fato de utilizar projeção de texto e imagens, em si, não é um aspecto positivo para a avaliação. Uma projeção má empregada pode ser um desastre. Na comunicação do trabalho, a conjugação adequada de som (fala) e imagem (slides) pode contribuir muito para o entendimento do assunto. O texto e/ou imagens apresentadas devem primar pela objetividade e sistematização, de modo a SOMAR à sua fala e não se SOBREPOR. Lembre-se que recursos audiovisuais devem ser encarados como recursos COMPLEMENTARES.

Proponho a você o seguinte teste: peça para um amigo ver os slides da sua apresentação, mas não explique o conteúdo a ele. Ao final, pergunte se ele entendeu todo o assunto. Se a resposta for sim, sua apresentação corre o risco de ser um desastre. Caso a resposta seja contrária ou seu amigo diga que entendeu a ordem, mas não o conteúdo totalmente, há grande chance de êxito.

Esta orientação parece estranha? Explico.
Um bom conjunto de slides não pode ser satisfatório, ou seja, as pessoas que o virem não podem entender o conteúdo sem que você explique. Na sobreposição, ou a banca lhe ouve ou a banca lê o slide. Entendeu?
Três recomendações finais:

1) Utilidade: todo o recurso empregado na apresentação deve ser explorado de forma a somar e não sobrepor ou dispersar.

2) Ponderação: excessos na apresentação são prejudiciais.

3) Precaução: esteja preparado para apresentar o trabalho, independente de eventuais adversidades (falta de energia elétrica, falha no computador, dentre outros). Tenha em mãos o material da apresentação em, pelo menos, duas mídias distintas (CD, pendrive) e também impresso. Traga também a via impressa da sua monografia na íntegra. Você pode ser questionado pela banca sobre pontos específicos do trabalho e a via impressa permitirá a consulta.

1 comentários:

Anônimo disse...

Excelentes orientações! MUITO OBRIGADA!

Postar um comentário