Métodos e Tipos de Pesquisa

Metodologia é a descrição detalhada dos métodos, técnicas e processos seguidos na pesquisa, explicando as hipóteses ou pressupostos, população ou amostra, os instrumentos e a coleta de dados.

Os métodos inéditos desenvolvidos pelo autor devem ser justificados e suas vantagens apontadas em relação a outros autores. Novas técnicas podem ser descritas com detalhes, inclusive novos equipamentos ilustrados com fotografias e desenhos.

Neste capítulo será apresentado os métodos e procedimentos adotados para o desenvolvimento do trabalho. Este capítulo é de extrema importância, pois as conclusões e achados de uma pesquisa terão pouca validade científica se a forma como se chegou a eles carecer de cientificidade. O pesquisador precisa usar métodos cientificamente aceitos na busca pela compreensão do mundo.

Para que o trabalho tenha qualidade, deve usar métodos que façam sentido para os outros pesquisadores da área, lidando com problemas semelhantes. O rigor na apresentação dos detalhes dos procedimentos metodológicos adotados imprime confiança no leitor, pois significa que a pesquisa foi realizada com a exatidão necessária para que se possa acreditar nos resultados obtidos.

A metodologia escolhida deve ser aquela que será mais adequada ao seu objeto de estudo e à abordagem aplicada.

Há dois métodos principais:
1)       Quantitativo, que é o uso de instrumental estatístico, de dados numéricos; e
2)       Qualitativo, que se caracteriza pela qualificação dos dados coletados, durante a análise do problema.

A taxonomia de verbos para uso em metodologia (verbos de ação) a seguir foi fornecida pela profa. Alcenir dos Reis.

Conhecimento: Apontar; Calcular; Classificar; Definir; Descrever; Distinguir; Enumerar; Enunciar; Especificar; Estabelecer; Exemplificar; Expressar; Identificar; Inscrever; Marcar; Medir; Nomear; Ordenar
Reconhecer; Registrar; Relacionar; Relatar; Repetir; Sublinhar; Evocar.
Compreensão: Concluir; Deduzir; Demonstrar; Derivar; Descrever; Determinar; Diferenciar; Discutir; Estimar; Exprimir; Extrapolar; Ilustrar; Induzir; Inferir; Interpolar; Interpretar; Localizar; Modificar; Narrar; Preparar; Prever; Reafirmar; Relatar; Reorganizar; Representar; Revisar; Traduzir; Transcrever.
Aplicação: Aplicar; Demonstrar; Desenvolver; Dramatizar; Empregar; Esboçar; Estruturar; Generalizar; Ilustrar; Interpretar; Inventariar; Operar; Organizar; Praticar; Relacionar; Selecionar; Traçar; Usar.
Análise: Analisar; Calcular; Categorizar; Combinar; Comparar; Contrastar; Correlacionar; Criticar; Debater; Deduzir; Diferenciar; Discriminar; Discutir; Distinguir; Examinar; Experimentar; Identificar; Investigar; Provar.
Síntese: Compor; Comunicar; Conjugar; Construir; Coordenar; Criar; Desenvolver; Dirigir; Documentar; Escrever; Especificar; Esquematizar; Exigir; Formular; Modificar; Organizar; Originar; Planejar; Prestar; Produzir; Reunir; Sintetizar.
Avaliação: Argumentar; Avaliar; Comparar; Contrastar; Decidir; Escolher; Estimar; Julgar; Medir; Precisar; Selecionar; Taxar; Validar; Valorizar.

 

Métodos

As informações a seguir foram elaboradas pelo prof. Maurício Barcellos Almeida, e gentilmente cedidas para fazer parte deste Manual:

Método dedutivo: método racionalista, que pressupõe a razão com a única forma de chegar ao conhecimento verdadeiro; utiliza uma cadeia de raciocínio descendente, da análise geral para a particular, até a conclusão; utiliza o silogismo: de duas premissas retira-se uma terceira logicamente decorrente.

Todo homem é mortal (premissa maior)
Pedro é homem (premissa menor)
Logo, Pedro é mortal (conclusão).

Método indutivo: método empirista, o qual considera o conhecimento como baseado na experiência; a generalização deriva de observações de casos da realidade concreta e é elaborada a partir de constatações particulares.

Pedro é mortal.
João é mortal.
José é mortal.
Carlos é mortal.
Ora, Pedro, João, José e Carlos são homens.
Logo, (todos) os homens são mortais.

Método hipotético dedutivo (Poper, K.): se o conhecimento é insuficiente para explicar um fenômeno, surge o problema; para expressar as dificuldades do problema são formuladas hipóteses; das hipóteses deduzem-se consequências a serem testadas ou falseadas (tornar falsas as consequências deduzidas das hipóteses); enquanto o método dedutivo procura confirmar a hipótese, o hipotético-dedutivo procura evidências empíricas para derrubá-las.

Método dialético (Hegel, G.): empregado em pesquisa qualitativa, considera que os fatos não podem ser considerados fora de um contexto social; as contradições se transcendem dando origem a novas contradições que requerem soluções.

Método fenomenológico (Husserl, E.): empregado em pesquisa qualitativa, não é dedutivo nem indutivo, preocupa-se com a descrição direta da experiência, como ela é; a realidade é construída socialmente e entendida da forma que é interpretada; a realidade não é única, existem tantas quantas forem suas interpretações.

 

Tipos de pesquisa

As informações a seguir foram elaboradas pelo prof. Maurício Barcellos Almeida, e gentilmente cedidas para fazer parte deste Manual:

Do ponto de vista de sua natureza:
·   Pesquisa básica: objetiva gerar conhecimentos novos para avanço da ciência sem aplicação prática prevista.
·   Pesquisa aplicada: objetiva gerar conhecimentos para aplicações práticas dirigidos à solução de problemas específicos.

Do ponto de vista da forma de abordagem ao problema:
·   Pesquisa quantitativa: considera que tudo é quantificável, o que significa traduzir opiniões e números em informações as quais serão classificadas e analisadas.
·   Pesquisa qualitativa: considera que existe uma relação entre o mundo e o sujeito que não pode ser traduzida em números; a pesquisa é descritiva, o pesquisador tende a analisar seus dados indutivamente.

Do ponto de vista dos objetivos:
·   Pesquisa exploratória: objetiva proporcionar maior familiaridade com um problema; envolve levantamento bibliográfico, entrevistas com pessoas que tiveram experiências práticas com o problema pesquisado e análise de exemplos; assume em geral a forma de pesquisas bibliográficas e estudos de caso.
·   Pesquisa descritiva: objetiva descrever as características de certa população ou fenômeno, ou estabelecer relações entre variáveis; envolvem técnicas de coleta de dados padronizadas (questionário, observação); assume em geral a forma de levantamento.
·   Pesquisa explicativa: objetiva identificar os fatores que determinam fenômenos, explica o porquê das coisas; assume em geral as formas de pesquisa experimental e pesquisa ex-post-facto.
Do ponto de vista dos procedimentos técnicos:
·   Pesquisa bibliográfica: elaborada a partir de material já publicado, como livros, artigos, periódicos, Internet, etc.;
·   Pesquisa documental: elaborada a partir de material que não recebeu tratamento analítico;
·   Pesquisa experimental: pesquisa em que se determina um objeto de estudo, selecionam-se variáveis que o influenciam, define-se as formas de controle e de observação dos efeitos que as variáveis produzem no objeto;
·   Levantamento: pesquisa que envolve questionamento direto das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer;
·   Estudo de caso: envolve o estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos de maneira que se permita o amplo e detalhado conhecimento;
·   Pesquisa ex-post-facto: quando o experimento se realiza depois dos fatos;
·   Pesquisa ação: pesquisa concebida em associação com uma ação; os pesquisadores e participantes da situação ou problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo;
·   Pesquisa participante: pesquisa desenvolvida pela interação entre pesquisadores e membros das situações investigadas.

Referência: GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1994. 207p.